quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Fan Fic - Marcela e Marina (Amor e Revolução) - PARTE 5

• Para quem não leu as outras partes: Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4

Duas semanas depois, no jornal...

Marcela está conversando com Marina em sua sala e, apesar da promessa de Marina, apenas Mário e Thiago sabem que as duas são namoradas, pois Mário havia perguntado à Marina e ela confirmou a ele, pedindo sua discrição, que reagiu com espanto, porém, sem realizar nenhum tipo de comentário preconceituoso e desejou felicidades às duas.

- Amor, um rapaz veio aqui deixar suas referências e eu o achei muito capaz para trabalhar aqui. – Diz Marina.

- E qual será o cargo dele? – Diz Marcela.

- Bem, eu acho que precisamos melhorar as edições do Caderno Cultural, e creio que ele fará um ótimo trabalho aqui. – Diz Marina.

- Que bom! E quando ele virá trabalhar? – Diz Marcela.

- Amanhã, provavelmente. Mas eu vou precisar que você dê algumas orientações a ele, mas assim, só no início mesmo... Até ele se adaptar. O nome dele é Carlos. É um amigo do Pedro, o rapaz que fica na parte da administração.

- Tudo bem, sem problemas, meu amor... Ah, sabe o que eu tava pensando? – Diz Marcela.

- O quê? – Diz Marina.

- Em nos casarmos... Estava falando sobre isso com você em outro dia, mas o Thiago chegou em sua casa e me interrompeu... – Diz Marcela.

- Mas como, meu amor? – Diz Marina.

- Ah... Nós moraríamos juntas... Poderíamos fazer uma festinha aos íntimos, nós duas vestidas de noivas, o que acha? – Diz Marcela.

- Você é louca, Marcela! Ninguém vai aparecer no casamento! – Diz Marina, sorrindo.

- Oras... Aparece quem quiser, aliás, você me disse que não teria mais problema em assumir. – Diz Marcela.

- Não, meu amor, não me entenda mal... Outro dia contei ao Mário sobre nós duas... Não precisei chegar com ele e falar. Ele perguntou e eu confirmei. Se fosse em outro momento, eu mentiria, ou desconversaria... Não precisamos fazer um anúncio também... – Diz Marina.

- Mas se nos casarmos, teremos que fazer... Quero que seja tudo como deve ser... Por mais que não tenha validade jurídica, tem valor sentimental... Acho que só assim me sentiria casada de verdade. Eu sempre sonhei com isso, Marina... E quando te conheci e me apaixonei por você, imaginei tantas vezes você, ali, linda, subindo ao altar comigo, trocando alianças... Tá, não será em uma igreja, mas nada nos impede de trocarmos alianças e comemorarmos com nossos amigos a nossa felicidade. – Diz Marcela.

- Ai, como meu amor é romântica... – Diz Marina, sorrindo.

- É sério, amor, não deboche de mim, poxa... – Diz Marcela, sorrindo e fingindo estar chateada.

- Eu acho linda a ideia, minha querida, mas posso pensar com calma? Achei que iríamos falar para os nossos amigos, não para todos, inclusive para nossos pais... – Diz Marina.

- Marina, não começa... – Diz Marcela.

- Me deixa pensar um pouco, tá bem? – Diz Marina.

- Tudo bem... Agora deixe-me ir para a minha sala. - Diz Marcela.

*******

Algumas horas depois, ainda no Jornal...

Marcela está em sua mesa, trabalhando, e Marta aproxima-se dela para conversar.

- Como você está? Não nos falamos o dia inteiro. – Diz Marta.

- Você que tem me evitado ao máximo, Martinha... Sinto tanto a sua falta. – Diz Marcela.

- É... Mas não do jeito que eu queria, né? Mas tudo bem, deixa pra lá... Só queria mesmo saber se você está bem... – Diz Marta.

- Estaria melhor se tivesse minha amiga de volta, por inteira... – Diz Marcela.

Marta sorri, conformando-se com a situação.

- Tenho uma coisa pra te contar, Marcela... – Diz Marta.

- Diga. Sou toda ouvidos. – Diz Marcela.

- Eu tô saindo com uma pessoa... – Diz Marta.

- Nossa! Fico feliz por você, meu amor... Acho que você merece e muito ser feliz. – Diz Marcela.

- Pois é... Tem sido até legal, sabe? Consigo deixar as coisas do passado um pouco de lado... Ela é um amor de pessoa, me trata super bem e parece gostar mesmo de mim. Só tenho medo de quebrar a cara de novo... – Diz Marta.

- Por que, Martinha? – Diz Marcela.

- Porque eu sempre me dou mal, sabe? Tô cansada disso... Corro atrás das pessoas erradas sempre... Antes era a Bete, que é hétero e tá até namorando um garoto, depois foi de você... Enfim, por isso o medo. – Diz Marta.

- Mas olha, você é muito nova, Martinha... Tem muita gente ainda pra conhecer; muita coisa ainda a ser vivida... Quando você encontrar a pessoa certa, vai entender porque todas as outras deram errado, simplesmente porque não era pra ser... É só ter calma e paciência, sem desespero... E enquanto essa pessoa não aparece, você conhece pessoas novas, vai se divertindo, passando bons momentos com ou sem companhia... E saiba que eu sempre estarei aqui. – Diz Marcela.

- Pois é, tô deixando as coisas seguirem seu percurso, vamos ver, né? – Diz Marta.

- Acho bom! E quem sabe essa não é a garota de sorte? – Diz Marcela.

- Acho que não... Acho que a gente sabe desde o início quando é a pessoa certa... Sei lá... – Diz Marta.

- E como é o nome dela? Ela estuda com você? Quantos anos tem? Me conta tudo... Aliás, aqui não dá, vamos marcar um jantar pra colocar os papos em dia? – Diz Marcela.

- Não sei se seria uma boa ideia... – Diz Marta.

- Claro que sim! Pare com isso... – Diz Marcela.

- E a Marina, não vai ficar com ciúmes? – Diz Marta.

- Claro que não... Ela não sente ciúmes de mim... Ela é bem segura, sabe que eu a amo e confia em mim. Eu que sempre fui a ciumenta... – Diz Marcela, rindo.

- Mas o que importa é que você tá feliz. Ela ainda continua com aquilo de não querer assumir vocês duas? – Diz Marta.

- Não... Bem, ocorreu um acidente aqui há umas semanas atrás... – Diz Marcela, que é interrompida por Mário, que chega ofegante dizendo à Marcela que precisa falar com ela.

- Oi Mário, claro... Com licença, tá, Martinha? Marcamos esse jantar e conversamos mais, tudo bem? – Diz Marcela.

- Claro, pode deixar. – Diz Marta.

- Vamos, Marcela. – Diz Mário.

Marcela acompanha Mário até o corredor da redação.

- Marcela, desculpa te atrapalhar, mas eu preciso muito da sua ajuda. – Diz Mário, aflito.

- Não se preocupe, Mário, pode dizer. – Diz Marcela.

- A Maria, filha do Thiago... Aquela moça que eu gosto, foi presa... – Diz Mário.

- Meu Deus! E o Thiago já sabe? – Diz Marcela.

- Não. É por isso que vim aqui pedir a sua ajuda, tanto pra contar a ele, quanto tentar conseguir um habeas corpus e ir à delegacia. – Diz Mário.

- Claro, claro, tentarei dar entrada agora mesmo, com licença. – Diz Marcela.

- Muito obrigada, Marcela, você é um anjo! – Diz Mário.

- Que isso, Mário... É o meu trabalho, não se preocupe. – Diz Marcela, seguindo em direção à sala em que Thiago trabalha para avisá-lo do ocorrido.

Marcela avisa a Thiago sobre a prisão de sua filha, fazendo-o ficar desesperado, porém, ela tenta tranquilizá-lo dizendo que tentará conseguir um habeas corpus para soltá-la, e pede para que ele avise Marina. Thiago a agradece e diz à Marcela que ela tem um bom coração.

******

Algumas horas depois, na delegacia do DOPS...

Marcela encontra o delegado Aranha e diz que está com um habeas corpus para soltar Maria Paixão. O delegado afirma que ela não se encontra na delegacia. Marcela afirma que sabe que ela está lá e exige que ela seja solta.

- Ela não está aqui, eu já disse! – Diz delegado Aranha.

- Não brinque comigo, delegado! Cansei de sempre vir aqui soltar um preso político e você afirmar a mesma coisa e, quando ele é solto, muito tempo depois, após tantas torturas, descobrimos que ele estava o tempo inteiro aqui. – Diz Marcela, incisiva.

- Olha aqui, doutorinha, por mais que eu adore estar em companhia de moças bonitas, tenho mais o que fazer. Por favor, retire-se daqui! – Diz delegado Aranha.

- Não sairei até que a Maria Paixão seja solta, delegado! Não adianta, dessa vez não cederei. – Diz Marcela.

- Azar o seu. Fique aí, se quiser um cafezinho, é só avisar, doutora. – Diz delegado Aranha, em tom de deboche.

- Pare de palhaçada, delegado. Ficarei aqui até o senhor enjoar da minha cara. – Diz Marcela.

- Acho difícil... Mas é até bom que eu terei uma companhia feminina, aliás, esse vestidinho que a senhora está usando faz aflorar a imaginação de qualquer homem, mas se a senhora não se importa, continuarei meu trabalho. – Diz delegado Aranha.

Após duas horas sentada, Marcela resolve ir para casa e voltar no outro dia. Ao chegar em sua casa, recebe um telefonema de Marina, que pede para que ela vá até a sua casa e durma com ela, pois está com saudades. Marcela vai até a casa de Marina e as duas dormem juntas.

******

No dia seguinte, no jornal...

Marcela e Marina chegam ao jornal e seguem em direção à sala de Marina. Após cerca de meia hora, aparece Carlos, o novo funcionário e entra na sala de Marina.

- Bom dia, dona Marina. Estou aqui para o primeiro dia de trabalho. – Diz Carlos.

- Olá, Carlos, seja muito bem-vindo! Essa aqui é a Marcela, ela irá lhe direcionar até a mesa em que ficará por enquanto, até aprender mais ou menos como as coisas funcionam. – Diz Marina.

- Olá, Carlos, tudo bem? – Diz Marcela.

- Vai ser um prazer receber orientações de uma moça tão linda... – Diz Carlos, deixando Marcela desconfortável, enquanto Marina tenta controlar o seu ciúme.

- Tudo bem, vocês já podem ir. – Diz Marina, em tom ríspido.

- Vamos lá. – Diz Marcela, que acompanha Carlos até a sua mesa.

Algumas horas depois, ainda no jornal...

******

Marcela está instruindo Carlos, que não consegue evitar os olhares de desejo à Marcela.

- Querido, vou beber uma água e já volto para continuarmos, está bem? – Diz Marcela.

- O que você quiser... Você que manda. – Diz Carlos, deixando Marcela desconfortável, novamente.

Marcela segue em direção ao bebedouro e, quando está retornando à sua sala, encontra Carlos que diz estar indo beber água também.

- Vou lhe esperar em minha mesa. – Diz Marcela.

- Não, espera... Eu sei que você notou que desde que lhe vi, não consegui parar de olhar para os seus olhos... Que lindos que eles são. Me deixaram encantado. – Diz Carlos.

- Obrigada. Vou lá para a minha mesa. – Diz Marcela, tentando desconversar.

- E não são apenas os olhos, você é toda bela, aliás, acho que nunca vi uma mulher tão bela em toda a minha vida. – Diz Carlos.

- Obrigada novamente, mas... – Diz Marcela, sendo interrompida por Carlos, que segura levemente o seu braço.

- Eu sei que você também me olhou de uma forma diferente, me tratando bem, confessa que também me quer... – Diz Carlos.

- Que isso? Você se confundiu, não é nada disso... – Diz Marcela, tentando se desprender de Carlos.

- Confessa, vai, vem cá, me dá um beijo! – Diz Carlos, aproximando-se de Marcela para beijá-la, que é surpreendido por Marina, que estava saindo de sua sala e observa a cena, atônita.

- Espera aí, pare já com isso! Ela é a minha mulher! – Grita Marina, em tom de desespero, alto o suficiente para que todos na sala em que Marcela trabalha escutem.

- Como assim? Não estou entendendo. – Diz Carlos, soltando Marcela, que sorri, orgulhosa da atitude de Marina.

- É isso mesmo que vocês escutaram. Gente, eu e a Marcela vamos nos casar! – Diz Marina.

- Marina... – Diz Marcela, emocionada.

- Meu amor, eu aceito o seu pedido de casamento. Quero que todos saibam que eu sou muito amada e tenho uma pessoa maravilhosa ao meu lado. – Diz Marina, deixando todos surpresos.

Alguns sorriem felizes pelo amor das duas. Marina aproxima-se de Marcela e a beija, apaixonadamente. Todos aplaudem e as duas choram juntas, emocionadas, enquanto Carlos pede desculpas à Marina e diz que não sabia que as duas eram um casal. Marina diz a ele que está tudo bem já que tudo foi esclarecido. Thiago segue em direção às duas e as parabeniza pelo noivado e diz que deseja tudo de melhor a elas.

-------------------------

Em breve, a continuação da Fanfic. Beijocas a todos!

33 comentários:

Anônimo disse...

AMEI,BEM QUE PODERIA SER ASSIM NA NOVELA,DÁ ATÉ UM CALOR EM LER,PARABÉNS,VOCE É QUE DEVERIA SER A AUTORA DA NOVELA AMOR E REVOLUÇÃO. meire

Anônimo disse...

Ai que Lindo!!
Concordo que você que deveria ser a autora da novela,seria muito melhor!!!
Continue assim!
Mas quando sai o proximo?

Brasil Sem Preconceito on 1 de dezembro de 2011 10:51 disse...

Nossa, muito obrigada, querido(a)s!!! O próximo deve sair semana que vem... Dessa vez farei o possível pra não demorar tanto quanto dessa vez... As coisas estão se acalmando, rsrs. Beijos!!

Anônimo disse...

Ai gente, muita boa essa parte 5! Mas demorou tanto, e foi tão pequena :/
Anciosa pela próxima parte.

Brasil Sem Preconceito on 1 de dezembro de 2011 15:10 disse...

Oi, querida(o), tudo bom? Fico feliz que tenha gostado. Não demorei para escrevê-la, demorei para ter algum tempo de escrevê-la, entende? rs. Beijos.

Anônimo disse...

Não claro, peço desculpas pela má expressão no comentário. Sabemos e entendemos todo o sacrifício que você está tendo com a campanha das duas! E esperamos que todo o trabalho valha a pena, e que dê tudo certo. Torcemos muito pelas duas e esperamos anciosos pela próxima parte.
Beijos ;]

Anônimo disse...

Tem previsão de saída já pra próxima parte?

Anônimo disse...

Adorei mesmo!!! Um ataque de ciumes fez com que a Marina dissesse para todo o mundo o seu casamento com Marcela. Lindo... Realmente devia ser você a autora da novela. Adorei! Ansiosa para a proxima parte. Desculpe a impaciência...

Anônimo disse...

Maravilhoso!!! Adorei essa parte 5, muito emocionante e lindo, esta sendo muito bem escrita esse história da Marina e da Marcela. Parabéns a escritora. Poste lógo se possível a próxima parte.

Anônimo disse...

Quand sai o proximo??

Erika Reis on 7 de dezembro de 2011 15:48 disse...

quero muito ler os prosemos capítulos amei sua historia

Anônimo disse...

Previsão para a próxima postagem??

Anônimo disse...

Quando sai a parte 6 ? Estou ansiosa para ler ! :)

Anônimo disse...

muito bom,estou aguardando pra ler o proximo capitulo.

Anônimo disse...

cade o capitulo?
já se passou uma semana

Brasil Sem Preconceito on 13 de dezembro de 2011 18:21 disse...

Obrigada pelos comentários, meus amores, mas peço a vocês um pouco de paciência. Tô extremamente atarefada (vocês não fazem ideia do quanto!!!), por motivos de cunho pessoal, espero que possam compreender, além da campanha que ainda não acabou. Beijocas em todos e todas.

Anônimo disse...

Cadê o capitulo 6

Anônimo disse...

Tô vendo a hora terminar a novela e não sai o capitulo 6, tem alguma previsão

Anônimo disse...

Estamos esperando a parte 6, tem previsão.

abraço;

Anônimo disse...

Cadê a parte 6, não vai mais existir?

Brasil Sem Preconceito on 22 de dezembro de 2011 13:55 disse...

Vai existir, gente, calma. Eu expliquei ali em cima, terão que ter um pouco de paciência. Há muita coisa acontecendo, farei uma mudança significativa, e também estou com a campanha, tudo isso tem tomado praticamente todo o meu tempo. De verdade. Não é por mal e nem por preguiça, acreditem. Beijos.

Anônimo disse...

Vai fazer um mês já,poxa cade a 6° parte?

Anônimo disse...

`´E realmente acho que não vai sair mais a 6 parte, melhor a gente desistir.

Anônimo disse...

Eu também desisto

Anônimo disse...

Valeu por tudo que já fez, foi muito bacana,não se preocuper, se não tiver mais tempo de escrever a 6 parte, entenderemos, valeu mesmo.

Brasil Sem Preconceito on 25 de dezembro de 2011 23:29 disse...

Obrigada ao último anônimo. A parte 6 ainda vai sair, como eu expliquei, não tive tempo ainda de escrevê-la. Hoje é natal e mesmo assim ainda há quem venha aqui reclamar... Isso é estranho, mas tudo bem. Aos que continuarão lendo a fanfic, muito obrigada, e aos que leram e desistiram, obrigada também por terem acompanhado até aqui. Aos que ainda se interessam por ela, quando postá-la, deixarei o link na página do facebook (www.facebook.com/brasilsempreconceito) e no twitter (www.twitter.com/bsempreconceito), para facilitar a divulgação e a vida de vocês. Ah, e feliz natal a todos! :) Beijos.

Anônimo disse...

otima fanfic..amo muito,

Anônimo disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaammmmmmmmmmmmmeeeeeeeeeiiiii

Anônimo disse...

Temos previsão da sexta parte?

Brasil Sem Preconceito on 28 de dezembro de 2011 02:05 disse...

Sim, sim... Pretendo postar essa semana ainda. Já era pra ter postado, na verdade, estava quase terminando, mas meu guinea pig (bichinho de estimação) ficou muito doente, foi um horror, e agora estou cuidando dele e também finalizando as coisas da campanha, por isso também atrasou. Espero você por aqui. Bjs

Anônimo disse...

Agradeço pela atenção do retorno, estaremos sim, aqui esperando pela sexta parte, afinal vc é quem deveria está escrevendo essa novela porque esse TS não encherga nada.

Parabéns

Anônimo disse...

Ai, tô tão anciosa pra ler a próxima parte! Será que poderia ser postada até o fim de semana?

Brasil Sem Preconceito on 30 de dezembro de 2011 09:44 disse...

Pois é, pior que tá quase tudo pronto... Mas tô tendo muitos contratempos pessoais, meu bichinho tá muito debilitado mesmo, já levou 6 injeções, estou com a minha atenção toda voltada a ele e ao vídeo, nem tenho dormido direito. Acreditem, tenho o maior prazer em escrever, principalmente a vocês que costumam ser tão receptivos, e se pudesse já teria postado a próxima parte. Fico grata também com a paciência e espera de alguns, peço desculpas pela demora, mas quero que compreendam o meu lado. Fiquem bem e um felicíssimo 2012 a todos!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Visitantes Online

Quer nos seguir?

Brasil Sem Preconceito Copyright © 2011 Community is Designed by Brasil sem preconceito