terça-feira, 8 de novembro de 2011

Fan Fic - Marcela e Marina (Amor e Revolução) - PARTE 4

Para quem não leu as outras partes: Parte 1 Parte 2 Parte 3

*******

Algumas semanas depois.

Marina está sentindo muitas dores e Marcela diz a Thiago que é necessário que levem logo Marina ao hospital, pois ela deve estar em trabalho de parto.

- Meu Deus, vou levá-la imediatamente! – Diz Thiago.

- Eu vou com vocês! – Diz Marcela.

- Não precisa, eu estou indo e já é o suficiente! – Diz Thiago.

- Você vai querer implicar comigo justo agora? Vamos logo! – Diz Marcela.

Thiago, Marcela e Marina seguem em direção ao hospital.

No hospital...

Enquanto estão na sala de espera, Marcela e Thiago se entreolham.

- Você sabe que não havia necessidade nenhuma de você vir, não é, dra. Marcela? – Diz Thiago, com sarcasmo.

- Eu me preocupo com a Marina, você sabe disso. Aliás, você sabe muito mais que isso... – Diz Marcela.

Thiago esboça um sorriso sarcástico e Marcela segue em direção ao corredor para beber água.

- Decidiu ir embora, Doutora? – Diz Thiago.

- Só estava indo beber água... E não precisa me chamar de doutora, acho que já temos intimidade o suficiente pra nos falarmos simplesmente por nossos nomes. – Diz Marcela, visivelmente irritada.

- Se você acha que roubar a mulher alheia lhe dá intimidade, então vou passar a lhe chamar apenas de Marcela. – Diz Thiago.

- Eu não entendo todo esse sarcasmo, Thiago, isso tudo é rancor? Eu não roubei a Marina de ninguém, até porque, ela nunca foi verdadeiramente sua... – Diz Marcela.

- O que você quer dizer com isso? – Diz Thiago.

- Todo mundo sabe que a Marina moldava um par ideal em relação a você... Ela te imaginava o homem perfeito... Mas todos sabemos que a nossa imaginação costuma superar e, no seu caso, muito, o real... – Diz Marcela, olhando fixamente nos olhos de Thiago e sorrindo com escárnio.

- Você está querendo me atingir, mas não vai conseguir... Por um lado, você tem razão, a Marina procurava um homem perfeito... Homem, não mulher. – Diz Thiago, dando ênfase à palavra “homem”, como forma de menosprezar o fato de Marcela ser uma mulher e Marina, até namorar Marcela, ter vivido apenas relações heterossexuais.

- Pois é, mas como você pode ver, às vezes a nossa imaginação acaba não sendo aquilo que queríamos verdadeiramente... Veja a Marina, imaginou tanto estar com você e, quando teve essa oportunidade, viu que não era o que ela queria, e agora ela está co... – Diz Marcela que, ao estar prestes a revelar que está com Marina, decide se acalmar e respeitar a vontade dela de não dizer aos outros ainda o que está acontecendo entre elas, assim, diminui a voz quando iria falar “comigo”.

- Como? – Diz Thiago.

- Está confusa... Não sabe direito o que quer, foi isso que eu quis dizer... – Diz Marcela.

- Marcela, respeite a Marina e aceite que ela nunca vai ceder a você... Não adianta, ela mesma já me disse que não teria como ter algo com você. – Diz Marcela.

- Olha, Thiago, eu não vou ficar aqui me irritando com você... Eu dou tempo ao tempo, e acho melhor você fazer o mesmo, e procure uma mulher pra você ao invés de ficar atrás da Marina que não quer nada com você. – Diz Marcela.

- E nem com você, não é mesmo? – Diz Thiago, ironicamente.

- Ai, Thiago, vê se vai tirar a paciência de outra pessoa. Vou beber a minha água que é o melhor que eu faço! – Diz Marcela.

******

Horas depois, ainda no hospital...

Acontece o parto de Marina e ela dá a luz a um lindo menino, porém, houve a necessidade de se fazer uma cirurgia cesária. O médico de Marina dá a notícia a Thiago e Marcela, e diz que o bebê está na incubadora e que Marina está repousando. Os dois seguem até a incubadora e vêem de longe o bebê, emocionados.

******

Duas semanas depois...

Marina está amamentando Matheus – nome escolhido por Marina, após Thiago querer que o filho se chamasse Mathias, como uma quase junção dos dois nomes, “Ma” de Marina e “Thia” de Thiago, porém, Marina achou que seria mais bonito colocar o nome de seu filho de “Matheus” -, enquanto Marcela está preparando a próxima troca de fralda. Marina a olha carinhosamente, admirando-a por estar sendo como uma mãe para o seu filho.

- Ei, mamãe, vem aqui um pouco... – Diz Marina, sorrindo.

- Mamãe? – Diz Marcela, rindo.

- É... Você está tão “mãezona” ajeitando a fralda do Matheus... Parece até mais mãe que eu... – Diz Marina, sorrindo.

- É que eu já amo esse menino como se fosse meu filho, acredite. – Diz Marcela.

- Eu acredito, meu amor... Eu vejo... – Diz Marina.

- Sabe... Tudo o que eu queria era logo poder casar com você... É... Eu sei, não podemos nos casar oficialmente; isso não é permitido no Brasil... Aliás, não é permitido nem mesmo o divórcio, o que dirá um casamento entre mulheres... Mas eu queria poder morar com você e realmente cuidar dessa criança como se fosse minha... – Diz Marcela, que é interrompida pela campainha.

- Você pode abrir pra mim? – Diz Marina.

- Claro, meu amor... Não se preocupe com isso, fique quietinha aí e continue alimentando o nosso menino... – Diz Marcela, sorrindo, enquanto Marina a olha com carinho e paixão.

Marcela segue em direção à porta e, ao abri-la, surpreende-se com Thiago, reciprocamente.

- Marcela, o que você faz aqui? Mudou-se, foi? – Diz Thiago.

- Oi, Thiago. Eu estava aqui ajudando a Marina a cuidar do Matheus... – Diz Marcela.

- Sei... Mas cadê a Marina? – Diz Thiago, entrando na casa de Marina de forma grosseira.

- Ela está no quarto, amamentando o menino, deixe-me chamá-la... – Diz Marcela.

- Não precisa, eu vou direto, já fomos casados, lembra? – Diz Thiago.

- Você quer dizer “namorados”... É... Bem, não vamos discutir, né? – Diz Marcela.

- Quem era, meu amor? – Grita Marina para Marcela, achando que a pessoa que fora visitá-la já havia saído.

- Sou eu, Marina. – Grita Thiago, enquanto segue em direção ao quarto, deixando Marcela desconcertada.

- É... Oi, Thiago, não imaginei que fosse você... – Diz Marina, um pouco desconcertada.

- Como não? Eu sou o pai do bebê. É natural que eu venha visitar o meu filho e ajudar a minha ex-mulher, não acha? – Diz Thiago.

- É claro, claro... – Diz Marina.

- Marina, quando você acabar me diz para que eu troque a fraldinha dele... – Diz Marcela.

- Nossa, vocês estão realmente íntimas, não é? Já ficam de “meu amor” pra lá, “meu amor” pra cá... A Marcela já praticamente se instalou aqui na sua casa e até cuida do nosso filho... – Diz Thiago, em tom de sarcasmo, dando ênfase à palavra “nosso”.

- Olha como você é, Thiago... A Marcela é minha amiga e só está me ajudando. Só isso. – Diz Marina.

- É isso mesmo, Marcela? – Diz Thiago.

Marcela pensa em falar a verdade e, mesmo triste com essa situação, resolve respeitar a decisão de Marina.

- É, Thiago, infelizmente eu sou apenas amiga da Marina. – Diz Marcela, dando ênfase à palavra “infelizmente”.

Thiago sorri discretamente de forma debochada para Marcela, enquanto Marcela se sente triste e tenta não olhar para os dois.

*******

Uma semana depois, no jornal...

Quase todos os funcionários já foram para casa. Thiago entra na sala de Marina e os dois conversam sobre a próxima edição. Thiago pergunta à Marina como ela está se sentindo.

- Fisicamente eu estou bem... Mas fico triste em ter que deixar meu filho tão pequeno com uma babá, mesmo que seja por algumas horas por dia... – Diz Marina.

- É... Eu sei... Sabe, Marina, eu estive pensando seriamente sobre nós dois... – Diz Thiago.

- Como assim? – Diz Marina.

- Pensei no nosso filho e em toda essa situação... Você cuidando sozinha dessa criança... É, eu sei, eu sei que vou sempre ver o Matheus e estou tentando dar o máximo de assistência que posso, mas não é a mesma coisa... Um filho precisa de um pai presente, todos os dias em sua vida... Eu sei que nós passamos por momentos difíceis, brigamos muito, mas acho que deveríamos dar uma nova chance a nós dois. – Diz Thiago.

- Thiago... Essa hipótese está fora de cogitação. – Diz Marina.

- Por quê? O que custa nós tentarmos... Hum? Serei um bom marido e pai, cuidarei de você com todo o carinho que você merece... Mudarei esse meu jeito e tentarei ser mais compreensivo, eu prometo a você, hum? Que tal? Nós dois, juntos, novamente... – Diz Thiago, aproximando-se de Marina.

Thiago toca o rosto de Marina e tenta beijá-la. Neste momento, Marina o empurra e diz que não há mais jeito para eles dois.

- Por quê? Só um beijo, vai... E você vai ver... – Diz Thiago, tentando beijar Marina de forma forçada. Marina o empurra e grita: “Não, Thiago, não dá, eu já disse!”.

- Por que não? – Diz Thiago, visivelmente irritado e assustado por quase ter caído no chão após o empurrão de Marina.

- Porque eu tenho outra pessoa! – Diz Marina, quase sem fôlego.

- Já, Marina? Quem é? O Mário de novo? – Diz Thiago.

- Não é da sua conta... Aqui você é meu editor e lá fora você é o pai do meu filho. Só. Não temos mais nada! A nossa única relação é essa! – Diz Marina.

- Tudo bem, tudo bem... Eu não vou mais lhe perturbar, com licença. – Diz Thiago, saindo de sala.
Marina respira fundo e, alguns minutos depois, Marcela entra na sala.

- Marina... – Diz Marcela, que interrompe a sua fala ao ver Marina com um olhar triste e confuso.
- O que houve, meu amor? – Diz Marcela.

- Ah, o Thiago perturbando a minha vida... Parece que agora ele se transformou em outra pessoa, só sabe me perturbar. – Diz Marina.

- Não liga pra ele... Vem cá, como você está? – Diz Marcela.

- Fora isso, eu estou bem... Melhor agora que você entrou e pode me dar um abraço bem apertado... – Diz Marina, mudando seu olhar e sorrindo.

- Hum... Seu pedido é uma ordem... – Diz Marcela, aproximando-se de Marina.

As duas se abraçam carinhosamente e Marcela diz à Marina que não aguenta mais viver tudo com medo, às escondidas, e que elas não devem nada a ninguém.

- Eu não sei, Marcela... – Diz Marina.

- O que você não sabe? Você não me ama, é isso? – Diz Marcela.

- Claro que amo! Você sabe disso... e muito! – Diz Marina.

- Então qual é o problema de tudo isso? Você tem vergonha de mim? – Diz Marcela.

- Não é isso... Eu não sei... Não quero chocar as pessoas. – Diz Marina.

- Me diz uma coisa... Alguém aqui paga as suas contas? Alguém aqui lhe leva remédios quando você está doente? Quem aqui te ama de verdade e está disposta a passar o resto da vida com você? – Diz Marcela.

- Eu sei, meu amor... Sei que você tem razão... Me dá só mais um tempo, tá bem? – Diz Marina, enquanto Marcela permanece triste e cabisbaixa.

Marina aproxima-se de Marcela e toca seu rosto com carinho, levantando-o para que ela a olhe. As duas trocam olhares de paixão e Marina beija o canto da boca de Marcela e, em seguida, beija sua boca levemente, até intensificar o beijo, enquanto Marcela toca o corpo de Marina, fazendo com que ela esqueça que está no jornal e nem mesmo ouça baterem na porta. Thiago entra na sala e se mostra perplexo com a cena, deixando-as muito assustadas, sem reação.

- Thiago... – Diz Marcela, sem saber o que falar.

- Desculpa, eu volto depois. – Diz Thiago, ainda atônito.

- Ei, Thiago, espera... – Diz Marina.

- Vocês... É... Vocês estão... Marina, você não tem vergonha? – Diz Thiago, atordoado, pausando as palavras.

- Do quê, Thiago? – Diz Marina.

- Dessa safadeza que você está fazendo. Você tem um filho, esqueceu? – Diz Thiago.

- Isso não é safadeza, é amor, Thiago! – Diz Marcela.

- Com licença, eu não estou falando com você, sua... “mulher-macho”! – Diz Thiago, enfurecido.

- Olha aqui, Thiago, você não tem o mínimo direito de me desrespeitar! – Diz Marcela, enquanto Marina permanece quieta, sem saber o que dizer.

- Que nojo de vocês! É isso que eu sinto... Asco! Nojo de vocês duas! E meu filho nesse antro de promiscuidade! – Diz Thiago.

- Olha aqui, Thiago, eu nunca desrespeitei o Matheus, muito pelo contrário, eu cuido dele como se fosse meu filho! Nojo é violência, essa ditadura que reprime a liberdade de expressão, essas torturas, e não o amor! Portanto, não abra a boca pra falar de mim, você não pode dizer isso! – Diz Marcela, já sem paciência.

- Coitada de você... Imagine como vocês fazem sexo... Que nojo de vocês! – Diz Thiago.

- Ai, meu Deus! – Diz Marina, ainda atônita com toda a cena, sem acreditar no que Thiago falara.

- Pode ter certeza de que eu dou muito mais prazer a ela que você! Ela mesma me disse... Você, sim, é um nojo, em todos os sentidos! – Diz Marcela.

- Marcela! – Diz Marina, assustada.

- Olha aqui, sua “sapatona” dos infernos, eu não permito mais que você fique próxima ao meu filho, você entendeu? Ele merece ser bem criado e você é um péssimo exemplo. Imagine o que vai ser dele, sendo criado em um ambiente de safadeza, ainda vai virar “veado”. Se vocês querem viver nessa promiscuidade, o problema é de vocês, mas do meu filho você não chega perto, você entendeu, sua infeliz? – Diz Thiago, transtornado.

- Thiago, você está passando dos limites, nos respeite! – Diz Marina.

- Isso tudo é rancor por você não ser macho o suficiente e perder a mulher pra outra mulher, é? – Diz Marcela, nervosa, deixando Thiago mais transtornado ainda que, ao não aguentar as respostas de Marcela, revida com um tapa em seu rosto. Marina se assusta e Marcela põe a mão em seu rosto e chora de dor, física e psicológica. O tapa de Thiago fora tão forte que atingira o maxilar de Marcela, que a faz cuspir um pouco de sangue. Marina está perplexa e abraça forte Marcela.

- Olha o que você fez, Thiago! Você está completamente louco! – Diz Marina, extremamente irritada.
- Me desculpe, Marina... Eu perdi a cabeça. – Diz Thiago.

- Você tem que pedir desculpas à Marcela... Olha como ela está, cuspindo sangue, Thiago! – Diz Marina, indignada com o que acabara de acontecer, enquanto Marcela chora baixo.

Marina olha para Marcela e toca em seus cabelos.

- Meu amor, nós vamos ao médico... Precisa ver isso... Vem cá, vem... Eu te amo. Me perdoa... – Diz Marina.

Thiago sente-se constrangido com toda a situação, tanto com o fato de ter cometido uma loucura ao passar dos limites chegando a agredir Marcela, como por vê-las como um casal e perceber o quanto Marina gosta de Marcela.

- Deixa que eu levo vocês... Me perdoe, Marcela... Eu não sei o que deu em mim... – Diz Thiago.

- Não precisa, Thiago, eu só preciso colocar um pouco de gelo e vai ficar tudo bem... Com licença, Marina. – Diz Marcela, desprendendo-se do abraço de Marina.

- Marcela, eu não vou deixar você sair daqui assim... Você vai comigo pra casa. – Diz Marina.

- Tudo bem. – Diz Marcela, triste, enquanto Marina aproveita para arrumar as suas coisas e pegar as de Marcela para que elas possam ir embora.

- Eu já vou, Marina... Marcela, mais uma vez, me perdoe... Eu não sei nem o que dizer, o que deu em mim... Eu agi muito mal e reconheço isso... Nem parecia eu... Vocês sabem que eu não sou assim, por favor, entendam... – Diz Thiago.

- Depois conversaremos com mais calma, Thiago, agora nós vamos embora. – Diz Marina.

Marcela e Marina seguem em direção ao carro e vão para a casa de Marina. Ainda no carro, Marcela diz à Marina que isso tem que terminar, e Marina concorda e diz que não vai mais omitir a relação das duas e se arrepende por ter feito isso por tanto tempo.

- Agora nada, nem ninguém, irá destruir o nosso amor... – Diz Marcela, beijando as mãos de Marina.

- Nada, nem ninguém, meu amor... Nem ninguém! – Diz Marina, sorrindo apaixonadamente à Marcela.

Em breve, continuação da Fanfic! 
Beijocas.

36 comentários:

Valéria on 8 de novembro de 2011 21:57 disse...

cada dia mais maravilhoso o seu texto. Parabéns. Você está superando expectativas.

Doutora Marcela on 9 de novembro de 2011 09:16 disse...

Parabens!! Só acho que tem que despachar o Mala do Thiago HAHAHAHAHA de preferencia um lugar beeeeeeeemmmmmmmmmmmmm longe. (Off= selevasse um tapa de um homem iria na policia imediatamente )

Brasil Sem Preconceito on 9 de novembro de 2011 10:30 disse...

Obrigada, meus amores. Dra. querida da minha life, não se preocupe... Nunca deixaria o Thiago pra sempre enchendo o saco, a hora dele vai chegar... hahaha Já tenho preparado o que será dele... E sobre o tapa, hoje em dia, sim, mas naquela época, isso não daria em nada, foi por isso que se criou a Lei Maria da Penha, apenas em 2006. Fora que a própria Marcela não iria querer colocar o Thiago na cadeia, ainda mais levá-lo para o Delegado Aranha... Ela é uma pessoa boa e preferiu desculpar, até por ele ser pai do filho da amadinha. hahaha

Anônimo disse...

Nossa, muito legal essa parte. Previsão de continuação?

Anônimo disse...

Muito giro mesmo... Continuem... Tou ansiosa para ver a próxima parte...

Anônimo disse...

quando sai o 5°?

Brasil Sem Preconceito on 13 de novembro de 2011 01:12 disse...

Daqui a no máximo duas semanas, meus amores. Beijo grande e obrigada pela visita!

Anônimo disse...

Tou ansiosa para a próxima parte... é tudo emocionante...

Gabi on 13 de novembro de 2011 21:25 disse...

Mas tudo issooooo?!?!?!
):
não sei se aguentarei!!
Ah,tenho q parabenizar o trabalho de vcs!!
É incrível,eu suuuper apoio essa causa de erradicar o preconceito contra os homosexuais no Brasil!São gente como todo mundo!
(:

Brasil Sem Preconceito on 13 de novembro de 2011 21:29 disse...

É verdade, Gabi. Mas esse "tudo isso" é sobre o tempo que falta pra parte 5 ou por a fanfic ser muito grande pra ser lida? Seja bem-vinda e volte sempre, viu? Beijo grande.

Gabi on 13 de novembro de 2011 21:31 disse...

Eu compreendo!!
E pode deixar q eu voltarei seeempre!
*--*
Beijos

Gabi on 13 de novembro de 2011 21:33 disse...

Ah,qq coisa q precisar, estamos ai!
(:

Baabi on 14 de novembro de 2011 13:53 disse...

Ame amei amei
anciosa pela proxima

Anônimo disse...

A próxima daqui a 2 semanas? Porque vai demorar tanto :/ Não dá pra postar antes?

Anônimo disse...

Ah! Tou anciosa pa proxima parte. E ainda vai demorar. Uma semana já demora... parece que nao tem fim...

Srtaª Ruiva on 22 de novembro de 2011 00:43 disse...

Previsão do diaa para a proxima parte ??

Anônimo disse...

cade a 5° parte?

Brasil Sem Preconceito on 22 de novembro de 2011 23:17 disse...

Oi, meus amores... Me perdoem pela demora, estive preocupada com provas e com a campanha... Está tudo complicado, mas já escrevi uma parte e até o final da semana, essa parte 5 sai. Prometo!

Anônimo disse...

Ah! Nunca mais. Nao kero ser insistente mas é que estou muito ansiosa pela proxima parte

Anônimo disse...

não é hoje que sai?

Anônimo disse...

terminou...

Anônimo disse...

Posta logo, please.

Anônimo disse...

Vá laaaaaaa... hoje ainda nao saiu...

Anônimo disse...

Ta pronto?

Anônimo disse...

Poxa cadê a proxima parte???

Anônimo disse...

Hoje é o último dia... please... Quero a proxima parte... :(

Anônimo disse...

De almenos uma noticia...

Brasil Sem Preconceito on 27 de novembro de 2011 20:34 disse...

Geeeeeeente... hahaha Nossa, fico feliz mesmo em saber que a fanfic agradou tanto... Sério! Me perdoem MESMO! Mas vocês não tem noção do quanto está sendo difícil correr atrás das coisas da campanha "Marcela e Marina sem censura". Hoje passei o dia inteiro fora gravando a cena do beijo dos garotos, finalmente! É tudo muito sacrificante, e ainda tenho as coisas da minha vida pessoal, cursos, vestibulares, etc. Realmente tem sido difícil conciliar o tempo para tudo nesse fim de ano. Mas não desistam, tá? Quando colocar aqui, postarei o link no twitter @bsempreconceito, avisando a todos, não se preocupem. Beijo grande!!

Anônimo disse...

mais a previsão é pra quando?

Anônimo disse...

Ai gente, tá demorando tanto :/

Anônimo disse...

Pelo menos vale a pena esperar... :( Já agr... u gostava tanto de ver como ficou o beijo... Vai passar no youtube ou em algum site?

Brasil Sem Preconceito on 30 de novembro de 2011 22:54 disse...

Já escrevi, meus amores, mas meu roteador foi infectado por um vírus muito raro (olha como sou sortuda, rs) e fiquei dias sem internet. Logo postarei... Beijos!

Sobre o beijo, vai ser surpresa no dia que o vídeo da campanha sair! Se alguém nos ajudar com a cena das meninas (a única que falta), vai ser uma enorme ajuda e conseguiremos logo colocar esse vídeo no ar! Também ajudarão se encontrarem algum menino disposto a falar algumas palavras (que já foram escritas por nós) pra campanha. Qualquer coisa, entrem em contato comigo por aqui mesmo ou por e-mail fernandacarvalho2006@gmail.com Beijos

Anônimo disse...

Ah! Mas eu quero a 5ªparte... tou ansiosa. Espero que esse vírus passe depressa(sortuda, rs)...

Brasil Sem Preconceito on 3 de dezembro de 2011 16:13 disse...

Oi honey, a parte 5 já está disponível. Dê uma olhada aqui: http://www.brasilsempreconceito.com/2011/11/fan-fic-marcela-e-marina-amor-e.html Beijocas

Anônimo disse...

a cena da Marina e o Mário na maternidade, me lembrou essa parte da fanfic em que o Tiago discute com a Marcela no hospital rsrsrs

Brasil Sem Preconceito on 15 de janeiro de 2012 16:39 disse...

hahaha Verdade... Mas eu escrevi essa parte BEM ANTES dessa cena ir ao ar na novela, nem podem me acusar de plágio.. huahuauha

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Visitantes Online

Quer nos seguir?

Brasil Sem Preconceito Copyright © 2011 Community is Designed by Brasil sem preconceito