quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Entrevista exclusiva com a atriz Giselle Tigre, a Marina, da novela Amor e Revolução


por Cilla Noronha

Recife, capital de Pernambuco, é uma cidade que faz parte das mais visitadas do Brasil; de rica cultura, culinária diversificada e, principalmente, de muitos talentos, como a atriz Giselle Tigre, que dá vida à Marina, personagem da novela Amor e Revolução, que fez história na teledramaturgia ao protagonizar o primeiro beijo gay de uma telenovela no Brasil. Formada em Jornalismo, Giselle também é cantora e modelo, e teve sua primeira experiência em uma telenovela aos 27 anos, em Malhação, da Rede Globo, em 2000. Hoje, em Amor e Revolução, ela vive uma personagem cheia de nuances, e que marcou a vida da atriz, que se sente muito satisfeita com o seu trabalho na novela. Confira a entrevista completa:

Brasil Sem Preconceito: Você interpretou a professora Linda em “Malhação”, entre 2000 e 2003, e agora, em 2011, dá vida à jornalista Marina, na novela “Amor e Revolução”. O que você aprendeu com cada personagem?
Giselle Tigre: Malhação foi a minha primeira experiência em novela. Eu tinha 27 anos quando fiz este trabalho, mas já trabalhava desde os 14 anos fazendo teatro e sendo modelo fotográfico. Sempre tive muita intimidade com a câmera. Mas a tv tem uma linguagem própria. Observava meus colegas e assistia as cenas no ar pra ver como tinha ficado. Aos poucos eu fui ficando mais segura. Nas primeiras cenas, tropeçava nos tapetes do cenário. Muito tempo depois veio Amor e Revolução, estava bem enferrujada e tive um pouco de medo. O diretor Reinaldo Boury dava tapinhas na minha testa que franzia quando eu falava. Comecei meio insegura, mas depois peguei o tom. A Marina exigiu muito esforço mental e emocional, terminei o trabalho exausta, mas muito entusiasmada. Amei este personagem. Amei dar vida a esta mulher tão cheia de nuances e surpresas.

BSP: A Marina possui diversas nuances e se mostra muito confusa desde o início da novela, demorando muito a perceber que o Thiago (Mário Cardoso) não era quem ela imaginava e, mais ainda, a ceder às inúmeras tentativas de conquista da Marcela (Luciana Vendramini). Você acha que ela deveria ter agido de maneira diferente?
Giselle Tigre: "Tinha que evoluir para algo além".
GT: Acho que a Marina foi super coerente com seus sentimentos. Foi até fácil construí-la. Foi orgânico, principalmente nos maiores conflitos dela foi fácil pra mim chegar junto do sofrimento que ela passou, eu chorava fácil, me emocionava, como se tomasse aquilo pra mim. Eu me emocionava com tudo. Estava totalmente entregue a essa mulher. Eu chorava passando texto nas cenas de sofrimento, chorava nos ensaios com a camera e chorava depois gravando de fato. O Boury falava, não chora agora não, e eu dizia que não conseguia não chorar. Deixei os maquiadores loucos me retocando toda hora! 

BSP: Na história da teledramaturgia houve inúmeras chances de se mostrar o amor homossexual da mesma maneira que um romance heterossexual, como acontece na realidade, com beijos, carícias e cenas de amor. Você acredita que se o primeiro beijo gay tivesse ocorrido há 10 anos atrás, hoje seria comum se ver esses relacionamentos da maneira como são em nossas novelas, ou precisamos de mais tempo para que a sociedade brasileira compreenda que beijo gay não é tabu, e sim, realidade? 
GT: Sem dúvida, demorou muito para só agora aparecer uma relação homoafetiva de verdade em novelas. Não acho que dá pra abordar o tema do mesmo jeito que é mostrado com as relações heterossexuais. Tem que ser mais sutil mesmo. Tem que prevalecer o bom gosto. É super normal haver rejeição. É algo novo para a maioria do público televisivo. Acho muito exagerado, porém, matar personagens de uma novela só porque são homossexuais e também não dá só pra ficar mostrando o esteriótipo gay. Nem muito menos mostrar bitoquinhas entre casais do mesmo sexo. Tinha que evoluir pra algo além e o Tiago Santiago fez isso.   
Giselle Tigre: "A gente começa mudando a gente pra
depois mudar o mundo".
BSP: Você declarou em algumas entrevistas que havia construído amizades dentro do núcleo da novela, inclusive com a sua parceira de cena Luciana Vendramini. Você ainda mantém contato com muitos dos seus ex-colegas de trabalho?
GT: Sim, fiz amigos para sempre neste trabalho e a Luciana é uma delas que levarei no coração. Tivemos muita sorte de nos afinarmos tão bem. A Joana Limaverde (a Stela) é outra querida que frequenta minha casa e nossas filhas que têm a mesma idade são amigas.

BSP: Em 2010, houve mais de 200 mortes por homofobia no Brasil, e pesquisas mostram que esse número vem sendo crescente. Você é a favor de se criminalizar a homofobia, assim como se fez com o racismo, hoje um crime inafiançável e imprescritível pelo nosso Código Penal?
GT: Sou super a favor, claro!

BSP: Apenas em 2004 tivemos uma atriz negra (Taís Araújo) como protagonista de uma telenovela, e somente em 2011 pudemos presenciar uma cena de paixão verdadeira entre homoafetivos. Na sua opinião, por que um país que é tão diversificado se mostra, ao mesmo tempo, tão preconceituoso? E o que você acredita que se precisa mudar para termos um Brasil sem preconceito?
GT: Acho que é botando a “boca no trombone”, literalmente, que se rompem barreiras. Com ousadia e coragem. A arte é um ótimo veículo para isso. Esta semana comprei a edição de outubro da revista Trip com um casal gay se beijando na capa. Minha filha olhou e disse: “olha mãe, dois homens se beijando!” E eu disse, naturalmente: “é, minha filha, eles se gostam e formam um casal”. Quando cidadania for algo realmente consciente, a sociedade brasileira estará no caminho do amadurecimento.

Bate-bola:


Você se considera mais atriz, jornalista ou cantora? Essa é a pergunta que não quer calar (risos). Quando posso fazer as duas coisas juntas, cantar e atuar, estou num céu de diamantes. Considero-me uma atriz que canta. A música pra mim é tudo e não sei viver sem. Viver de música é um sonho que quero um dia realizar. Nunca pude me dedicar só a esta arte. Formei-me em jornalismo, mas nunca exerci esta profissão de fato. Mas gosto muito de escrever e ano que vem publico meu primeiro livro infantil.
Um medo: Da violência, da intolerância , da ignorância. Essas coisas todas são causadoras de muito sofrimento no mundo.
Um sonho ainda não realizado: Tocar um instrumento.
Um sonho que se realizou: Montar o espetáculo infantil Agora é Tempo.
Um lugar que gostaria de conhecer: O Brasil! De cabo a rabo, de preferência com meu espetáculo infantil.
Uma pessoa que gostaria de conhecer: Dalai Lama.
Uma bebida: Água de coco.
Uma mania: De arrumação.
Recife, São Paulo ou Rio de Janeiro? Os três!
Você é mais racional ou passional? Hoje, aos 39 anos, sou mais racional.
Um ator e uma atriz: Tony Ramos e Glória Pires
Um filme marcante: O Fabuloso Destino de Amelie Polin.

Marina por Giselle: Uma mulher justa, romântica, contraditória e apaixonada.
Giselle por Giselle: Sou um ser zen por natureza que treina diariamente ser bom e fazer o bem. Às vezes eu consigo.
Um recado para os fãs que acompanham o site.
Quero agradecer imensamente pelo carinho e elogios a este trabalho. A maior recompensa é saber que muitas pessoas se identificaram com o drama da novela. Sem dúvida, Amor e Revolução foi um marco na minha vida. Conheci pessoas ótimas e me trouxe o contato com o público novamente. Desejo a felicidade de todos, dias melhores virão para o Brasil e o mundo. Vamos trabalhar para isso. A mudança começa com um pequeno gesto, de dentro para fora. A gente começa mudando a gente pra depois mudar o mundo.




Gostaríamos de agradecer imensamente à Giselle por nos conceder a honra desta entrevista, e pelo respeito e carinho conosco, fãs do casal Marcela e Marina, da novela Amor e Revolução. 

E para quem ainda não conferiu o trabalho de Giselle como cantora, acesse http://www.myspace.com/giselletigre 


Beijocas e voltem sempre!

33 comentários:

Anônimo disse...

Giselle é realmente uma fofa adoro ela!!!!!Linda*--*

hanna rodrigues on 27 de outubro de 2011 01:27 disse...

como vc mesmo me disse uma vez gisele " as pessoas tem que abrir a mente, abrir o leque, prestar atenção e ver a diversidade que existe. A pior coisa que pode acontecer ao ser humano é parar de QUESTIONAR." é exatamente isso que precisa acontecer para um brasil sem preconceito... E em relação ao seu trabalho, nossa acho que já se esgotaram minha taxa de elogios... rsrs SIMPLESMENTE É ADMIRÁVEL.
acredito que seja uma ótima pessoa também, os que te conhecem pessoalmente são privilegiados por isso. bjosssss

Ricky Oz on 27 de outubro de 2011 08:35 disse...

Muito boa a entrevista, a Giselle falou tudo, espero que um dia nosso fique livre de qualquer tipo de preconceito.

http://rickyoz.blogspot.com/

RAyZA on 27 de outubro de 2011 10:43 disse...

Aii que delíciaaa a entrevista dela. Admirável por ela conceder suas palavras.

Doutora Marcela on 27 de outubro de 2011 10:56 disse...

Adorei!!! Super simpatica ... Agora só falta a Luciana Vendramini para alegria da geral.

Anônimo disse...

As palavras doces e suaves de Giselle Tigre, reflete totalmente seu carisma e sua personalidade.
Nossa, eu adorei a entrevista! Muito fofa! E, faço das palavras da Doutora Marcela as minhas:"Agora só falta a Luciana Vendramini para alegria da geral."

Marília de Dirceu

Anônimo disse...

eu adoro e admiro essa mulher batalhadora, amável e justa como ela mesmo diz.sou um pouco suspeita de falar pq sou cunhada. kkk!!! gi, muito sucesso, minha torcida é toda sua. bjus e muita paz. deixo aqui esta frase.A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância.
Dalai Lama. SANDRA LINS E FAMÍLIA.

flor_nha@hotmail.com on 27 de outubro de 2011 20:32 disse...

Adorei!!! Gisele é uma fofa, a entrevisa ficou massa! Agora só falta a Luciana, pra alegria ser completa!

Anônimo disse...

Ameeeei,muito muito boa entrevista
que fofa que a Giselle é.
mas explica como voce conseguiu entrevistar ela??
super parabens,gostei muito e as perguntas bem legais

Anônimo disse...

Amei a entrevista da Giselle,ela é ótima e parabéns querida,muito show!!!

Anônimo disse...

melhor amar do que matar...

solange rocha disse...

vcs babam muito a tigre,,e´ne´ emfim ela merece.. solange do rio d janeiro..

solange maria rocha disse...

eu disse: melhor amar do que matar,,porque tem gente que machuco os outros,, tem gente que nao sabe amar.. solange maria rocha rio d janeiro..

Anônimo disse...

Adorei a entrevista! Parabéns, ficou otima *-*

Guilherme de Carli on 2 de novembro de 2011 15:58 disse...

Adorei a entrevista, que bela profissional! E veja só a evolução que teve desde o primeiro trabalho!

Meninas & Mulheres on 2 de novembro de 2011 16:50 disse...

Muito boa entrevista !
e o seu blog nem se fala né
beeijoos

http://meeninasmulheres.blogspot.com/2011/10/luis-moura-isso-vai-voltar-eu-quero.html

Blog UaiMeu! on 2 de novembro de 2011 18:21 disse...

Lembro dela na Malhação há alguns anos atrás.

abraços

Mari Fagundes on 2 de novembro de 2011 19:21 disse...

Adorei seu blog. É necessário expandir essa ideia por um Brasil sem preconceitos...

Passa lá se der:

http://odiariodemariana.blogspot.com/

=*

Mah on 2 de novembro de 2011 22:21 disse...

Seguindo se poder fazer o mesmo por mim!
ameii seu blog...
:)

http://marcilene-maciel.blogspot.com/

Fundador - Junior - O Manolo on 2 de novembro de 2011 22:30 disse...

Ótima entrevista,

Segue o meu blog www.manolorestaurant.co.cc

hrdoblush on 2 de novembro de 2011 22:57 disse...

adoooreii

http://www.hrdoblush.com/

Ítalo Richard on 2 de novembro de 2011 23:20 disse...

Seu blog é ótimo. Gostei da entrevista.

abraço,
www.todososouvidos.blogspot.com

Hysteria Project on 2 de novembro de 2011 23:24 disse...

Caraca... conseguir entrevista de uma atriz assim deve ter sido difiçasso! Parabens o/

Aline Diedrich on 3 de novembro de 2011 08:24 disse...

Não acompanho as novelas do SBT, mas lembro dela por esse trabalho em malhação. Sem dúvida sua entrevista ficou muito interessante! Parabéns!

Maíra Cintra on 3 de novembro de 2011 13:53 disse...

Sem preconceitos sempre!
mairacintra.blogspot.com

A Diva on 3 de novembro de 2011 14:27 disse...

Parabéns pelo blog, é isso ai.
Estou seguindo aqui, no twitter e no face.
Aguardo vocês no meu cantinho, segue de volta:
http://maniasdadiva.blogspot.com/

Nina Boom on 3 de novembro de 2011 14:37 disse...

Parabéns pela entrevista! Muito boa!

Anônimo disse...

Incrível! Parabéns à personalidade responsável pelo site e parabéns à Gisele, que é uma excelente atriz e dona de um carisma radiante. Percebe-se pela veracidade de suas palavras.
Está correta em dizer que a mudança começa por nós mesmos...
Por isso desenvolvimento da consciência, e a luta persistente contra toda forma de intolerância através da educação são imprescindíveis como estrutura para estagnação dessa semente disseminadora do desamor,pois os preconceitos nascem na cabeça dos homens...

Mas uma vez, parabéns por este blog democrático! Você contribui certamente para o desenvolvimento da consciência de todos!

Faz um bom tempo que não passo por aqui, mas quem é viva sempre aparece (risos)... Abraços...

Anônimo disse...

Parabéns novamente,de coração! Abs...

Jair Freire on 5 de novembro de 2011 18:40 disse...

O seu blog é maravilhoso...adorei mesmo e é claro que estou seguindo!!! Eu vi a divulgação que você fez no Orkut e aguardo sua retribuição no meu também. Afinal, um ajuda o outro... Pensamentos de minha autoria e de outros autores http://jairfreire.blogspot.com/

Anônimo disse...

ivonete,adorei giselle e linda,competente,maravilhosa,uma atriz que agente deseja ver sempre nas telinhas,muito inteligente e humana,eu poderia ditar um mundo de elogios a ela,mas prefiro dizer te amo minha conterranea,te amo te amoooooooo,beijos.

Anônimo disse...

As perguntas foram simplesmente incríveis, inteligentes e diretas !! Parabéns pela entrevista! Giselle Tigre além de linda parece ser muito simpática !!

Anônimo disse...

parabens querida, vc e exelente atriz vc ecarnou o seu papel de marina a qual me tornei sua fa. obrigada por este presente quem ganhamos fomos nos em ver tanto talento.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Visitantes Online

Quer nos seguir?

Brasil Sem Preconceito Copyright © 2011 Community is Designed by Brasil sem preconceito