segunda-feira, 16 de abril de 2012

Fan Fic - Marcela e Marina (Amor e Revolução) - PARTE 10 (E última)

• Para quem não leu as outras partes: Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5 Parte 6 Parte 7 Parte 8 Parte 9

No dia seguinte...

Alguém toca a campainha da casa de Marcela e Marina. Marcela atende a porta ainda de camisola, enquanto Marina levanta-se para fazer o café. São os pais de Marina com Matheus.

- Meu amor! Que saudade de você! – Diz Marcela, referindo-se a Matheus.

- Podemos entrar? – Diz a mãe de Marina.

- Claro, claro... Me desculpem... Podem entrar. A Marina está na cozinha preparando o café. Me acompanhem. – Diz Marcela, enquanto segura Matheus.

Marina surpreende-se ao ver Matheus e seus pais.

- Mamãe... Pai! Matheuzinho... Que bom que vocês estão aqui! – Diz Marina.

- Viemos trazer o bebê de vocês... E também ver como estão as nossas meninas. – Diz o pai de Marina.

- Oh, pai... Estamos bem... Um pouco cansadas da viagem, pois chegamos de madrugada... Mas amanhã já voltaremos ao trabalho. – Diz Marina.

- É... Infelizmente a gente não pode se dar ao luxo de ficar muito tempo de lua-de-mel, não só a Marina por ser dona do jornal, mas eu também tenho muito trabalho acumulado... – Diz Marcela.

- Quem diria... Duas mulheres casadas e ainda por cima as duas trabalham e sustentam a casa... Vocês estão revolucionando o Brasil, sabiam? – Diz o pai de Marina.

- Ai, pai... Só o senhor mesmo... – Diz Marina, rindo.

- Meu sogro tem razão, Marina... São esses pequenos casos como o nosso que ajudam a revolucionar toda uma nação... Sem esse machismo e demais preconceitos que a nossa sociedade insiste em ter, e que não servem pra nada, apenas para infelicitar tanta gente... – Diz Marcela.

Todos tomam café e conversam.

*******

No dia seguinte...

Marcela e Marina retornam ao jornal, e são recebidas com muito carinho pelos colegas de trabalho. A mãe de Marina, que ainda está na cidade, resolve visitá-la.

- Mãe, o que a senhora faz aqui? – Diz Marina, surpresa, em sua sala.

- Resolvi lhe fazer uma visita. Seu pai e eu iremos voltar para a nossa cidade amanhã. – Diz Elizabeth.

Depois de alguns minutos de conversa, as duas falam sobre o que houve com Rogério.

- Mãe, eu nunca lhe perguntei isso... Mas como a senhora sabia que eu estaria na casa do Rogério? E como a senhora sabia onde era a casa dele? – Diz Marina, curiosa.

- Pois é... Eu nem lhe contei isso mesmo... Tantas coisas aconteceram... Ele me ligou um ou dois meses antes do ocorrido, não me recordo perfeitamente, e me disse que queria encontrá-la... Eu quis tratá-lo com grosseria, mas a ligação foi tão rápida que nem pude, e achei melhor assim. Ele me pediu para anotar o endereço dele para que eu lhe desse... Anotei, nem sei porque... Mas, como você sabe, nunca lhe entreguei... Foi basicamente isso. – Diz Elizabeth.

- Nossa... Que descarado! E a senhora sabe que fim ele levou? – Diz Marina.

- Bem, pelo que eu soube, ele se mudou novamente, mas nem sei qual é o paradeiro dele, e nem quero saber... E espero que você também não, né? – Diz Elizabeth.

- Ai, mãe... Claro que não... Estou muito, muito feliz! Às vezes nem sei se mereço tanta felicidade, sabe? – Diz Marina, pensativa.

- Claro que merece, meu amor... Você é a pessoa que mais merece ser feliz que eu conheço nessa vida! Depois de tanta coisa que você passou... – Diz Elizabeth.

- Ai, mãe... Tomara que essa felicidade dure para sempre! Para sempre! – Diz Marina, encantada e feliz, enquanto sua mãe sorri.

*********

Alguns meses depois...

É domingo, 8h. Marcela e Marina estão deitadas, quando Matheus começa a chorar. Marcela se assusta e se levanta para vê-lo.

- Meu filho, o que você tem? Tá com fome? – Diz Marcela para o bebê, pegando-o no colo.

Marina acorda e aprecia Marcela segurando Matheus. Marcela, ao perceber que Marina acordou, diz a ela que acha que Matheus está com fome.

- É, ou ele está carente, querendo colo da mamãe... Olha, já até parou de chorar... – Diz Marina, ainda deitada em sua cama.

- É verdade... Mas já está na hora de lhe fazer uma mamadeira... – Diz Marcela.

- Deixa que eu faço. Já vou levantar, amor... – Diz Marina.

- Está bem... E você, meu amor, está com fome mesmo? É isso que você quer mesmo, fala pra mamãe, fala. – Diz Marcela, imitando voz de criança, fazendo cócegas em Matheus, que ri.

- Mamãe. – Diz Matheus, com dificuldade.

- O quê? Não acredito! – Diz Marina, perplexa, enquanto Marcela perde a fala.

- Foi isso mesmo que eu escutei? Ele falou mamãe pra você? – Diz Marina, emocionada.

- Eu acho que foi... Oh, meu filho! Mamãe te ama! – Diz Marcela, feliz e emocionada, enquanto abraça Matheus.

Marina aproxima-se de Marcela e faz carinho nela e em Matheus. Matheus repete: “mamãe”, e as duas se olham, apaixonadas e emocionadas com o ocorrido. Após alguns minutos, Marina segue em direção à cozinha com Matheus e Marcela, para lhe fazer a mamadeira.

- Meu amor, já está na hora de irmos tirando aos poucos a mamadeira dele, você não acha? – Diz Marcela.

- É verdade... Você tem razão. Afinal, o Matheus já está prestes a completar dois anos... – Diz Marina.

- Aliás, eu ia conversar isso com você... Sobre a festinha dele, o que você acha que aproveitarmos que hoje é domingo e já irmos fazendo algumas encomendas do bolo, salgadinho e demais comidas? E também avisando aos nossos amigos e familiares? Você sabe que a partir de amanhã não teremos descanso... – Diz Marcela.

- É, você tem razão. Depois do almoço vamos providenciar tudo isso... Conheço uma senhora que faz uns quitutes deliciosos. – Diz Marina.

As duas continuam conversando, enquanto Marina prepara a mamadeira de Matheus. Após Matheus tomar a mamadeira, as duas seguem com ele para a sala, ligam a televisão e colocam em um canal onde estaria passando um desenho animado, para que ele pudesse assistir. De repente, o telefone toca. É Thiago.

- Thiago, mas que surpresa! – Diz Marcela, ao atender ao telefone.

- Oi, Marcela, tudo bom com vocês? – Diz Thiago.

- Está tudo bem... Você passou um tempo sem dar notícias... O que houve? – Diz Marcela.

- É uma longa história... Mas preciso conversar primeiro com a Marina. – Diz Thiago, alarmado.

- Nossa, sua voz está séria... Aconteceu alguma coisa? – Diz Marcela.

- A Marina vai lhe contar com calma, infelizmente preciso comunicá-la primeiro... – Diz Thiago.

- Você está me deixando assustada, mas tudo bem, irei passar para ela. – Diz Marcela.

Marcela chama Marina e diz que o Thiago está ao telefone, e Marcela retorna ao sofá para ficar ao lado de Matheus, enquanto Marina conversa com Thiago.

- Oi, Thiago, tudo bom? Estávamos com saudades... Tenho uma novidade para lhe contar... – Diz Marina, sorridente.

- Marina, eu estou com câncer. – Diz Thiago, de forma direta.

Marina paralisa e, sem reação, fica alguns minutos em silêncio, sem saber o que dizer.

- Marina, você está aí? – Diz Thiago.

- Estou, Thiago... Eu estou sem palavras... Como? Quando? Onde? Como foi... Ai, meu Deus! – Diz Marina, confusa, perdendo-se nas palavras.

- Calma... Estou ligando para dizer que retornarei a São Paulo. Caso aconteça alguma coisa, eu quero estar próximo à minha família, meus filhos... – Diz Thiago.

- Aconteça alguma coisa? Como assim? Você já fez todos os exames? Onde é? Calma, Thiago, você tem grandes chances de ficar curado. – Diz Marina.

- Espero que sim, Marina... Mas nunca se sabe... Infelizmente a Laura, minha companheira, terá que ficar aqui, pois ainda não poderá voltar ao Brasil por causa da repressão... Já estou com a passagem em mãos. Depois de amanhã estarei aí. Estou com muita saudade dos meus filhos. – Diz Thiago.

- Vamos lhe aguardar, Thiago. E você poderá ficar aqui em casa sem problema algum. – Diz Marina.

- Não se preocupe, não quero atrapalhar... – Diz Thiago.

- De maneira alguma... Estamos juntos nessa, todos nós! – Diz Marina.

- Obrigado pelo apoio, Marina, mas já consegui alguém que alugasse uma casa mobiliada... Só falta fechar o negócio pessoalmente. – Diz Thiago.

- Tudo bem. Você é quem sabe, mas saiba que poderá sempre contar conosco. – Diz Marina.

- Eu sei, não se preocupe... Até terça-feira! – Diz Thiago.

- Até. Faça uma boa viagem. – Diz Marina.

- Obrigado. – Diz Thiago.

Marina se mantém perplexa ao saber da notícia e Marcela percebe.

- O que houve, meu amor? Você está pálida... – Diz Marcela, preocupada, com Matheus ao seu lado, sentado no sofá.

- O Thiago... – Diz Marina, sem conseguir completar a frase.

- O que houve com o Thiago? – Diz Marcela, mais preocupada ainda.

- Ele... está com câncer. – Diz Marina.

- Meu Deus! Mas quando ele descobriu isso? – Diz Marcela.

- Ele não me deu muitos detalhes... Disse que está vindo pra cá, fará o tratamento aqui em São Paulo. - Diz Marina.

- Entendo... Mas calma, amor... Vai dar tudo certo, você vai ver! – Diz Marcela.

- Assim espero, meu amor... Assim espero. – Diz Marina.

*******

No dia seguinte...

Marcela e Marina seguem em direção ao jornal após a chegada da babá que cuida de Matheus. Ao chegarem na redação, Marta chama Marcela para que as duas possam conversar. Marina fica enciumada e segue em direção à sua sala, enquanto as duas conversam no corredor.

- Oi, minha querida, o que houve? – Diz Marcela.

- Tenho uma boa notícia pra lhe contar... Estou tão feliz que precisava compartilhar com você, já que você é minha melhor amiga. – Diz Marta.

- Claro, meu amor, pode me dizer... Já estou ficando curiosa. – Diz Marcela, sorrindo.

- Eu vou me casar. – Diz Marta.

- Nossa! Como assim? – Diz Marcela, sorrindo, feliz por sua amiga.

- Sim... Na verdade, não terá nada demais, só um jantar com alguns amigos e familiares... Você sabe que os pais da Bete ainda não me aceitaram... Mas gostaria muito que você pudesse ir. Iremos morar juntas! – Diz Marta, felicíssima.

- Quem diria, hein?! No final das contas, você acabou ficando com a Bete... – Diz Marcela.

- Pois é... Estou tão feliz que nem sei dizer o quanto... Ela é tudo pra mim. Promete que vai? – Diz Marta.

- Mas é claro! Não perderia isso por nada! – Diz Marcela.

- Diga à Marina pra ir também, tá? Quero ela também no jantar. Ah, e o Matheus também! – Diz Marta.

- Claro! Pode deixar, minha amiga. – Diz Marcela, sorrindo.

Marcela segue em direção à sala de Marina e a encontra apreensiva.

- O que foi, meu amor? É o problema do Thiago, não é? – Diz Marcela.

- Estou muito preocupada com isso... Não sei direito o que está acontecendo. Ele nem quis me contar... – Diz Marina.

Marcela aproxima-se de Marina e lhe dá um beijo para que ela se acalme.

- Calma, meu amor, vai dar tudo certo... – Diz Marcela, enquanto acaricia o rosto de Marina.

- E aquela menina, o que ela queria com você? – Diz Marina.

- Ai, meu amor... Não acredito que depois de tudo o que já vivemos você ainda está com ciúmes... – Diz Marcela.

- Estou! Não deveria? Não esqueço que ela quase te convence de não ficar mais comigo! – Diz Marina.

- Isso faz tanto tempo... Ela está em outra agora. E foi justamente por isso que eu vim aqui na sua sala. Ela nos convidou para irmos a um jantar de união entre ela e a Bete. – Diz Marcela, sorrindo.

- Ela e a Bete? Nossa! Que ótimo! – Diz Marina.

- Agora está mais tranquila? Mas é boba mesmo... – Diz Marcela.

- Não tenho culpa de ter uma mulher tão linda quanto você... – Diz Marina, abraçando Marcela, sorrindo.

- Sei... Fico preocupada que com o tempo você não me olhe mais... Ando tão sem tempo de me arrumar pra você como deveria... – Diz Marcela.

- Deixa de ser boba... A cada ano que passa você fica mais linda! E não falo isso da boca pra fora! Você é a mulher mais linda que eu já vi em toda a minha vida! – Diz Marina, acariciando o rosto de Marcela.

- Eu te amo, sabia? Agora deixa eu voltar ao trabalho... Ah, queria que você fosse assistir a um filme no cinema comigo... – Diz Marcela.

- Não sei se estou muito bem pra isso, meu amor... Com toda essa história do Thiago... – Diz Marina.

- Mas é justamente pra você se distrair um pouco... E acho que você vai gostar da história. – Diz Marcela.

- Não sei... Que horas seria isso? E qual é o filme? – Diz Marina.

- Vai passar às 21h30. O filme é com a linda Audrey Hepburn, e parece que foi um escândalo nos Estados Unidos. – Diz Marcela.

- Escândalo? Por quê? – Diz Marina, curiosa.

- O nome dele é “Infâmia”, ao menos essa é a tradução dele no Brasil... Ele foi lançado há alguns anos, mas só irão passá-lo agora... Ele fala da história de duas professoras que foram acusadas de serem amantes para toda a cidade... – Diz Marcela, sorrindo.

- Hum... Realmente, parece interessante... Melhor ainda, bem familiar. – Diz Marina, rindo.

- Sabia que você iria se interessar... Então eu posso levar minha amada para o cinema? – Diz Marcela.

- Pode, meu amor... Você me convenceu. Até mais tarde, amor. – Diz Marina.

- Até. – Diz Marcela, despedindo-se temporariamente de Marina com um beijo.

Marcela segue em direção à sua sala.

- Marcela, esqueci de lhe dar o convite... Está aqui. – Diz Marta.

- Hum... No próximo mês. Está bem perto. Assim que eu gosto! – Diz Marcela.

- Sim... Queremos nos unir o mais rápido possível. – Diz Marta.

- Você sempre romântica... Terei o maior prazer em prestigiar sua felicidade, minha querida. – Diz Marcela, enquanto Marta sorri.

*******

No dia seguinte...

A campainha toca. Marcela acorda e vai até a porta atendê-la. É Thiago.

- Thiago, meu Deus... Quanto tempo! Nem acredito que você está aqui... Entre... – Diz Marcela.

- A Marina está? – Diz Thiago, aparentemente fraco e muito magro.

- Está sim... Ela está dormindo, mas já deve acordar. Vou chamá-la. Desculpe-me pelos meus trajes, estava dormindo... – Diz Thiago.

- Desculpe-me por acordá-las... – Diz Thiago.

- Imagina... Já deveríamos acordar. Você chegou que horas? – Diz Marcela.

- Cheguei às 4h40, mas não consegui dormir, precisava falar com a Marina. – Diz Thiago.

- Tudo bem, vou chamá-la. – Diz Marcela.

- Se possível, traga o Matheus... Estou morrendo de saudades do meu filho. – Diz Thiago.

- Claro, pode deixar. Com licença. – Diz Marcela.

Marcela segue em direção ao seu quarto e percebe que Marina está no banheiro, escovando os dentes.

- Amor, o Thiago está aqui... – Diz Marcela.

- Eu sei... Escutei ele chegando e acordei. Já irei lá falar com ele... Por enquanto, você pode levar o Matheus para que ele o veja, amor? – Diz Marina.

- Claro, meu bem... Já vou levá-lo. – Diz Marcela.

Marcela leva Matheus para ver Thiago, que se emociona ao ver seu filho após tantos meses. Thiago tenta segurar Matheus mas não consegue devido ao seu estado físico. Marcela coloca-o em seu colo e Thiago a agradece. Marina vai até a sala falar com Thiago.

- Oi, Thiago! Como você está se sentindo? Que surpresa. Não achei que você viria tão cedo. – Diz Marina.

- Eu precisava ver meu filho e falar com você... Nem consegui dormir, então vim correndo. – Diz Thiago.

- Entendo... Você emagreceu bastante, Thiago... – Diz Marina.

- É por conta da doença... Daqui irei ao hospital para realizar novos exames e dar continuidade ao tratamento que estava fazendo nos Estados Unidos. – Diz Thiago.

- Mas o que você tem exatamente? – Diz Marcela.

- Pelos exames que fiz, foi detectado um tumor no estômago... Infelizmente é um dos mais graves que existe e são poucos que conseguem sobreviver... Mas eu já estou mais calmo e conformado, por isso vim para São Paulo para passar o resto dos meus dias com meus filhos. – Diz Thiago.

- Meu Deus, Thiago... Por que você não veio antes? Acalme-se, não é bem assim... Existe chance de cura. – Diz Marina, chorando.

- Não chore, Marina... A vida segue seu percurso e não há nada que possamos fazer. Gostaria de saber se você pode me acompanhar na ida ao hospital. – Diz Thiago.

- Claro, com certeza! Me espere 20 minutos que irei me arrumar e lhe levarei ao hospital. – Diz Marina.

- Muito obrigado, Marina. – Diz Thiago.

- Vocês me dão licença... Preciso fazer a mamadeira do Matheus. – Diz Marcela.

- Claro, claro... Eu fico com ele aqui assistindo à televisão. – Diz Thiago.

Marina começa a se arrumar para acompanhar Thiago e Marcela segue em direção à cozinha para fazer a mamadeira de seu filho. Após alguns minutos, chora emocionada pela notícia que recebera de Thiago.

*********

Após duas horas...

No hospital...

Thiago está se preparando para novos exames enquanto Marina o acompanha. O médico diz a Thiago que os exames poderão ser realizados no dia seguinte. Marcela liga da redação para Marina e diz a ela para que não se preocupe que ela está cuidando de tudo no jornal, e Marina agradece a ela e diz que não saberia o que fazer sem ela.

**********

Após alguns dias...

Thiago telefona à Marina no jornal e diz que os resultados já saíram e que ele iniciará um tratamento quimioterápico. Marina preocupa-se e pergunta quando o tratamento começará e Thiago revela que terá início daqui a uma semana.

Após algumas horas, Lúcia liga para Marcela e revela que Thiago está passando mal e que precisa que ela avise à Marina que ela o está levando ao hospital. Marcela preocupa-se e avisa à Marina, que segue com ela em direção ao hospital, deixando o jornal aos cuidados de Mário.

*********

Chegando ao hospital, Marina encontra Lúcia, aos prantos, ao lado de Beto, com quem está morando.

- Oi, Marina... Estou muito preocupada. – Diz Lúcia.

- Calma... O que houve? – Diz Marina, preocupada.

- Ele estava lá em casa esperando o João chegar do trabalho e começou a passar mal... Ficou vomitando sangue... Meu Deus, não gosto nem de lembrar! – Diz Lúcia, enquanto Beto a conforta, abraçando-a.

- Eu vou falar com o médico... – Diz Marcela.

Marcela conversa com o médico de Thiago.

- Ele está com uma hemorragia interna e precisa urgentemente de uma transfusão de sangue... Tudo nos leva a crer que ele está com anemia. – Diz o médico.

- Nossa! Mas então vamos chamar alguém da família para realizar essa transfusão. – Diz Marcela.

- O problema é que a transfusão deve ser feita agora, e o tipo de sangue dele é um pouco raro... – Diz o médico.

Marcela, após conversar por alguns minutos com o médico de Thiago, descobre que o tipo de sangue de Thiago é o mesmo que o dela e segue em direção à sala de transfusão. Marina não entende o que aconteceu e pergunta ao médico o que houve. O médico afirma à Marina que Marcela será doadora de Thiago. Marina se emociona e avisa Lúcia.

**********

Na sala de transfusão...

- O que você faz aqui, Marcela? – Diz Thiago, falando com dificuldade.

- Estou aqui para lhe dar uma força. Agora fique quieto, Thiago. – Diz Marcela.

- Como assim? – Diz Thiago.

- Não fale nada, Thiago... Você irá se cansar. – Diz Marcela.

Marcela realiza um teste para saber se realmente é compatível com Thiago e o resultado é positivo. Marcela realiza a transfusão de sangue para Thiago.

*********

Após algumas horas...

- Meu amor, vamos para casa, você está fraca... – Diz Marina à Marcela.

- Tudo bem... Lúcia, por favor, nos avise de qualquer coisa e, quando o João chegar, dê nosso telefone a ele... Estarei em casa descansando. – Diz Marcela.

- Obrigada, Marcela, você salvou a vida do Thiago. – Diz Lúcia.

- É verdade, meu amor, você foi um anjo. – Diz Marina.

- Eu fiz o que deveria ser feito. – Diz Marcela, seguindo em direção ao carro com Marina.

As duas seguem em direção à casa delas.

**********

Duas semanas depois...

Thiago está realizando seu tratamento quimioterápico, e começa a passar mal novamente. Após alguns exames, é constatado que Thiago está reagindo lentamente ao tratamento, não sendo o suficiente para curá-lo, e o médico o avisa que ocorreu metástase, ou seja, o câncer atingiu outros órgãos. Thiago desespera-se e pergunta ao médico quanto tempo de vida lhe resta. O médico afirma que não há como prever, mas que a quimioterapia pode ajudá-lo a viver por mais tempo.

Thiago pede para que o médico ligue para seus familiares. Marcela, Marina, Matheus, Lúcia, João, Maria e alguns outros familiares de Thiago comparecem ao hospital e desesperam-se ao saberem da real situação de Thiago. Thiago pede ao médico que Marcela entre para que ele possa conversar com ela a sós. Ao saber disso, Marcela não compreende e se emociona, seguindo em direção ao quarto de Thiago.

No quarto de Thiago...

- Marcela, escute... Eu não tenho palavras para agradecer o que você fez por mim... Desde sempre eu impliquei com você, pelo nosso passado, você sabe... Mas isso sempre foi um pouco de inveja da minha parte também... Você sempre se mostrou uma pessoa tão segura de si; parecia que nada conseguia lhe aflingir... Bem, eu não sabia que lhe causava tanto mal naquela época, pelo fato de você ser apaixonada pela Marina. Quando eu soube, fiquei um pouco feliz... Não sei lhe explicar, mas eu percebi que não importava o quanto você fosse essa pessoa poderosa, segura de si, que nada parecia lhe abater, eu possuía o que você mais queria, e isso me deixava, na minha mente, acima de você... E depois eu perdi a Marina pra você... – Diz Thiago.

- Thiago... – Diz Marcela.

- Não, espere... Deixe-me terminar. Depois disso, eu me senti péssimo... Não conseguia entender como uma mulher poderia ser melhor que eu... Sim, em meu pensamento machista. Você era independente, não parecia precisar de homens pra nada, sempre com aparência feliz... Isso mexia comigo. E a raiva por você apenas cresceu com o passar do tempo, mas sempre contive isso para que não pudesse transparecer... Mas depois eu passei a tolerá-la, mas nunca gostei de verdade de você. E no dia em que você aceitou realizar a transfusão sanguínea você provou que realmente é uma pessoa muito melhor que eu. Hoje eu não apenas gosto de você, como a admiro imensuravelmente. Não existe uma pessoa melhor para ser mãe do Matheus que você, Marcela. E estou feliz que, caso tenha que deixá-lo para sempre, ele estará em boas mãos. – Diz Thiago, emocionado, falando com dificuldade.

- Thiago... Eu não sei o que dizer... Pode ter certeza que eu amo o seu filho como se ele fosse meu. Aliás, eu o considero meu. Eu o amo demais! – Diz Marcela, aos prantos.

- Eu sei... E por isso irei embora em paz. – Diz Thiago.

- Não fale assim... Você ainda poderá se salvar... – Diz Marcela.

- Eu sei que não, Marcela. Mas estou bem, de verdade. Sinto que deixarei tudo em ordem. Agora eu queria lhe pedir um favor... – Diz Thiago, emocionado.

- Claro... O que você quiser. – Diz Marcela, ainda aos prantos.

- Traga o Matheus e a Marina aqui, por favor. – Diz Thiago.

- Pode deixar... Vou buscá-los. – Diz Marcela, enxugando suas lágrimas.

Marina segura nas mãos de Matheus e o leva para ver seu pai no quarto do hospital. Thiago diz a Matheus o quanto o ama e conversa com o garoto por alguns minutos.

**********

No dia seguinte...

- Marina, eu tive uma ideia... – Diz Marcela.

- O que foi, amor? – Diz Marina.

- Hoje é aniversário do Matheus... Que tal levarmos algumas coisas para o quarto de Thiago e comemorarmos lá? – Diz Marcela.

- Nossa, amor, essa é uma ótima ideia! – Diz Marina.

As duas seguem com os preparativos e ligam para os familiares de Thiago. Todos seguem em direção ao hospital. Ao chegarem ao hospital, Thiago se emociona com a surpresa e beija seu filho. Após algumas horas de brincadeiras, todos seguem em direção às suas casas, ficando apenas Marcela, Marina e Matheus, que se preparam para irem embora. Marina diz à Marcela para levar Matheus para o carro enquanto ela acaba de limpar tudo, deixando Thiago e Marina a sós.

- Marina... Muito obrigado. – Diz Thiago.

- Foi divertido, não é? Espero que você tenha gostado. Foi ideia da Marcela. – Diz Marina.

- Foi a melhor forma de me despedir de vocês... – Diz Thiago.

- Não fale bobagem, Thiago... Você ainda ficará conosco por bastante tempo... – Diz Marina.

- Não, Marina... Me escuta... Nunca deixe a Marcela, está bem? Ela é a pessoa certa para cuidar de vocês. E me perdoe por tudo. – Diz Thiago, quase sem forças.

- Thiago... – Diz Marina, chorando.

- Diga aos meus filhos que eu os amo muito... E diga ao Matheus que ele é um  menino de sorte. – Diz Thiago, segundos antes de falecer.

- Thiago! Thiago, acorda! Thiago! – Grita Marina, desesperada, chamando os enfermeiros, aos prantos.

A enfermeira chega até o quarto de Thiago e constata que ele acabara de falecer.

- Não! – Grita Marina, desesperadamente, aos prantos.

*********

No dia seguinte...

- Eu nunca imaginei que estaria indo ao enterro do Thiago tão cedo... – Diz Marina, desolada.

- Eu sei, meu amor... Infelizmente a vida quis assim. Mas o importante é que nós estamos aqui pelo Matheus. – Diz Marcela.

- Sim... E você sabe o que ele me disse antes de falecer? – Diz Marina, com os olhos marejados.

-  O quê? – Diz Marcela.

- Que era pra eu nunca me separar de você, pois você está destinada a cuidar de nós dois. – Diz Marina, emocionada, enquanto Marcela chora.

As duas seguem em direção ao velório de Thiago.

***********

Algumas semanas depois...

Marcela e Marina se preparam para ir ao jantar de união de Bete e Marta. As duas chegam ao local com Matheus.

- Que bom que vocês vieram, meninas! Fico feliz que tenham trazido o Matheus... Aliás, ele está lindo! – Diz Marta.

- Eu lhe disse que jamais faltaria ao dia mais importante da sua vida, Martinha. – Diz Marcela, enquanto Marta sorri.

- Sinto muito, Marina, pelo Thiago... Imagino o quanto deve estar sendo difícil pra vocês... Eu mesma fiquei muito triste com a notícia... – Diz Marta.

- Estamos tentando superar... Mas hoje não é dia para tristezas. Hoje é o seu dia, Marta! Parabéns, fico feliz de verdade por você. Aqui está o nosso presente. – Diz Marina.

- Ah, não acredito! Não precisava! Sentem-se... Logo mais será servido o jantar. – Diz Marta.

As duas celebram majestosamente sua união e se beijam apaixonadamente, recebendo as palmas de seus amigos e familiares, enquanto trocam alianças, representando o amor eterno.

*********

Anos depois...

Já é 1985, e é decretado o fim da Ditadura Militar com a eleição de Tancredo Neves à presidência da república.

Marcela e Marina estão na redação do jornal e realizam uma festa para comemorar o final da Ditadura. Matheus, que já é adolescente, cuida de seus irmãos gêmeos, Celina e Thiago, resultados de uma inseminação artificial realizada por Marcela há cinco anos, enquanto Marina realiza os últimos preparativos da festa. Alguns convidados chegam, entre eles estão: Marta e Bete, com Beatriz, que fora adotada pelo casal três anos após o casamento delas; Mário e Joana, casados há cinco anos; Ivone e Luís com sua filha Giselle; Jeová e Duarte, juntos há onze anos, tendo dois filhos, Allan e Fernando, gêmeos adotados após o falecimento de uma mãe solteira em seu parto, entre outros funcionários e ex-funcionários do jornal.

- Marina, obrigada por me fazer tão feliz... – Diz Marcela, acariciando o rosto de Marina.

- Ah, lá vai começar o romantismo... – Diz Matheus, sorrindo.

- Mas a gente te ama também, meu amor... Aliás, acho que está na hora do nosso abraço coletivo no Matheus, você não acha, Marina? – Diz Marcela.

- Com certeza! – Diz Marina, rindo.

- Ah, não, vocês vão me fazer passar vergonha. – Diz Matheus.

Marcela e Marina abraçam Matheus, seguidos dos gêmeos.

- Assim vocês vão me esmagar! – Diz Matheus, rindo.

- Mas que menino exagerado! A gente só vai soltar se você disser que nos ama... – Diz Marina.

- Vamos, Matheus... – Diz Marcela.

- Ah, não... Tá todo mundo olhando. Eu já sou um rapaz, mãe! – Diz Matheus.

- Não importa... Diz! – Diz Marina, rindo.

- Tá bom, tá bom... Eu amo vocês. Mães mais lindas e maravilhosas! – Diz Matheus.

- Ah, sim... Agora sim! – Diz Marcela, rindo, enquanto os gêmeos riem de Matheus.

- Olha, até a Celina está rindo de você, Matheus. – Diz Marcela.

- Ela é uma boba! Agora vou fazer um ataque de cosquinhas só pra você ver, Celina! Volta aqui! – Diz Matheus, correndo atrás de Celina, que corre pelo jornal, enquanto Thiago se suja com o bolo de chocolate.

- Venham todos! Vamos fazer um brinde à liberdade de expressão! À liberdade de impressa! À liberdade, por direito! – Diz Marina, enquanto todos seguram suas taças de champagne e brindam juntos.

- À liberdade! – Gritam todos, felizes, festejando um novo tempo que estaria por começar naquele exato momento, e que mudaria a vida de todos para sempre.


Agradeço imensamente a todos que acompanharam esta fanfiction por tanto tempo, e espero que continuem conosco neste site! E que façamos, a cada dia, um Brasil Sem Preconceito.

11 comentários:

Anônimo disse...

como assim ja e fim do FanFic? O.o ;( #chorando
By: Paola mendes

Anônimo disse...

Lindooooooooooooooooooo ! *-*
Choreeeeeeei ! =,)


By: Joyce Rodrigues

Anônimo disse...

Lindo demais... pena que acabou!!!

Anônimo disse...

Nossa BSP...ficou lindo...to emocionada...e olha naum é facil...rsrsrs
Pena que acabou né..vou sentir falta
Parabens BSP..lindo mesmo..!!
Pati

Anônimo disse...

:'( acabou. Perfeito!!!

Anônimo disse...

nossa BSP so nao gosteii de uma coiisa : que acabou..porque a fanfic foii maravilhosa em todos os momentos,em cada palavra dita, em cada emocao que elas nos trouxe, e meu deus ta diviina..vou sentiir mt falta!! mas voi com certeza irei acompanhar o site por muiitoas anos e anos aiinda..vs é demais BSP.. PARABENS POR TUDO QUE CONSEGUIU CONSTRUIR COM ESSA FANFIC.. eu amey demaiis esse final..
agradeço imensamente pelo respeito que vce teve por nós leitoras e esta demaiis..
JULIE

Anônimo disse...

Nossa... Perfeito.
Só isso que se pode dizer' Show.
Bjoo
Júh

Anônimo disse...

Gente, muito linda a história dessa fanfic, desde a primeira parte!
Parabéns à criadora, você merece todo sucesso do mundo! Mas pena que acabou né :/
Quais os planos daqui pra frente? :)

Anônimo disse...

Ficou show vc conseguiu finalizar com maestra parabéns ja pode escrever uma nov.juliana

Anônimo disse...

Adorei a fanfic! Ficou lindo! Se a verdadeira novela tivesse sido assim... :/ Muito obrigada! xD

Brasil Sem Preconceito on 17 de abril de 2012 19:42 disse...

Gente, quando comentarem, deixem uma assinatura como algumas fazem pra que eu saiba quem é quem, hehehe... Fico feliz que vocês tenham gostado. Feliz e orgulhosa, além de honrada. Os planos daqui pra frente é colocar cada vez mais conteúdo no site, e também terá novas fanfictions, porém, mais curtas, sobre filmes, novelas e seriados (não só seriados gays, porque a imaginação transforma todos em qualquer coisa, hahaha), assim como outros contos, poesias, etc. Além das tirinhas que já são tradição por aqui, agora também terá notícias, e não só para o público gay, apesar de ser o assunto ênfase, também estaremos publicando sobre outras minorias que sofrem preconceito. Agora também há o bate-papo para quem quiser conversar por aqui. A carta do leitor também é uma novidade... Caso você queira conselhos ou até deixar uma poesia que fez ou contar sua história, será muito bem-vinda. Beijocas e continuem conosco por aqui!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Visitantes Online

Quer nos seguir?

Brasil Sem Preconceito Copyright © 2011 Community is Designed by Brasil sem preconceito